Disfunção Erétil: causas, sintomas, tratamentos e prevenção

Infelizmente a disfunção erétil é um mal que afeta uma boa quantidade dos homens, ao redor de todo o mundo, em algum momento da vida, sendo mais comum naqueles que já passaram dos 40 anos.

Ela se caracteriza como a incapacidade de um homem conseguir manter uma ereção rígida por tempo suficiente para ter uma relação sexual ou nem mesmo conseguir ter uma ereção.

Há diversas causas que podem ser a raiz do problema, como:

 

  • Distúrbios psicológicos

 

  • Doenças neurológicas tais como mal de Alzheimer e Parkinson

 

  • Doenças hormonais tais como Diabetes, problemas endócrinos, queda nos níveis de testosterona

 

  • Abuso no consumo de medicamentos como antidepressivos, anti-hipertensivos

 

  • Alcoolismo e tabagismo, uso de drogas como heroína, cocaína, metadona, entre outros que existem

 

Sabe-se que a ereção depende do fluxo de sangue do pênis, então se o indivíduo possui algum tipo de problema circulatório que impeça a chegada do sangue na região pélvica, ele poderá sofrer desse mal.

A vida sexual é importante para ambos os sexos, entretanto no psicológico masculino a incapacidade de obter ou manter uma ereção que seja suficiente para uma relação sexual satisfatória é muito pior.

Ela pode provocar tantos outros problemas em sua vida social, sendo possível causar até mesmo um isolamento pelos sentimentos depressivos e de impotência.

Quer saber mais sobre outros pontos relacionados com a disfunção erétil? Então não deixe de acompanhar esse artigo até o final!

 

Sintomas

 

Os sintomas não são apenas a incapacidade de ter uma ereção, mas também de mantê-la ou mesmo não conseguir rigidez suficiente no órgão sexual para ter uma relação sexual.

Para que o problema seja diagnosticado como disfunção erétil é necessário que ele ocorra durante mais de 6 meses e em mais de 50% das vezes em que o homem tenta a ereção.

Há também os casos em que o indivíduo consegue ter uma ereção adequada para manter uma relação sexual satisfatória, entretanto acaba por sofrer com a ejaculação precoce.

 

 

Prevenção

 

Viu-se que muitas causas da disfunção erétil surgem com péssimos hábitos de vida por parte do indivíduo, como fumar e beber em excesso, usar drogas ilícitas, abusar de remédios, não cuidar dos seus problemas psicológicos, etc.

Há também a questão do sedentarismo e da falta de exercícios, que prejudicam e muito a circulação sanguínea, piorando o quadro do indivíduo afetado.

Então há formas de prevenção, como por exemplo manter uma dieta rígida e disciplinada de alimentos benéficos ao organismo, evitar comidas gordurosas, especialmente fast food.

Criar e seguir a risca uma rotina de exercícios, de preferência os aeróbicos, onde há um aperfeiçoamento do sistema cardiovascular, consequentemente melhorando a circulação sanguínea.

Evite também tomar remédios sem prescrição médica, ou seja, se automedicar, pois isso pode ser um fator para a disfunção erétil e também apresenta sérios riscos à sua saúde em geral.

 

 

Tratamento

 

Quanto ao tratamento, pode-se dividi-lo aqui em 3 classes:

 

  • Tratamento não farmacológico: é o aconselhamento de um psicólogo ou psiquiatra. Há um bom índice de homens que sofrem desse mal por problemas psicológicos e emocionais

 

  • Tratamento farmacológico: que já é um apelo a medicamentos que irão induzir a ereção, alguns destes são: Cialis, Levitra, Viagra, Helleva

 

  • Cirurgias: estas são indicadas para casos mais extremos onde os dois primeiros não obtiveram sucesso, então nesses casos as opções cirúrgicas de próteses penianas podem ser uma opção, por exemplo

 

 

Conclusão

Como você viu, a Disfunção erétil é um problema real que afeta muitos homens, especialmente aqueles que já passaram dos 40 anos.

Esse problema pode desencadear distúrbios psicológicos em alguns dos homens, como depressão, sentimento de impotência, baixo auto estima, entre outros.

Neste artigo, você conheceu um pouco mais sobre o problema e algumas formas de prevenção e tratamento, lembre-se de fazer tudo isso com acompanhamento médico

Gostou do artigo de hoje sobre disfunção erétil?

Se você ficou com alguma dúvida sobre esse assunto, escreva-a abaixo nos comentários para que eu possa ajudá-lo.